segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Findi 48 de 2015 - Ó Dilema!


Foi um final de semana de dilema. O dia lindo lá fora convidando para curtir e a preguiça forte aqui dentro. O Rio de Janeiro me chamando para aproveitar seus encantos e o corpo pedindo descanso. 

Eu optei por ouvir o que o meu corpo pedia e atendê-lo. Dormi até a hora que tive vontade e confesso que acordei algumas vezes com o dilema em mente: "ficar na cama ou sair para aproveitar o dia?". Me cobrei disposição, mas acima de tudo me respeitei e voltei a dormir. 

Quando finalmente levantei um novo dilema chegou a minha mente: "ficar em casa nesse dia lindo ou sair para aproveitar algumas das muitas opções que essa cidade nos oferece?". Aceitei a preguiça coletiva instalada na família e adiantei as minhas pinturas. As duas primeiras peças do jogo americano estão prontas, então resolvi dar cor a terceira peça. Comei a dar a base dos anjos que vou pintar na próxima aula com a professora Odila Freire. Os anjos que ela pintou ficaram sensacionais (vale a pena ver AQUI) e vou usar os meus para a decoração de Natal.


Enquanto eu pintei, a Sofia me ajudou um pouco passando o prime nos anjos, mas ficou mesmo treinando a dança aérea na rede.


Fazia algum tempo que eu não me cuidava no sentido de fazer as unhas, dar um jeito no cabelo, essas mulherzices que fazem muito bem. Eu ando em uma onda sem tempo e sem dinheiro, sabe? Na verdade, bem verdadeira é que não estava priorizando esses cuidados.
E mais uma vez veio o dilema: sair para curtir o dia ou ficar dentro de um salão de beleza?. Acontece que eles me fazem bem, então deixei a cobrança por aproveitar o final de semana com programas de lado e fui ao salão. Quando a Ana Luiza questionou: "você vai perder o seu sábado de sol no salão?" Ó dilema! Juro que eu quase sucumbi. Mas, mais uma vez foi ótimo respeitar o que eu realmente queria e me fazer esse cuidado. Voltei outra, com os pés nas nuvens depois de um SPA nos pés, unhas pintadas com esse vermelho lindo que trouxe de Amsterdam, cabelos cortados e hidratados.


E na volta sabe o que eu fiz? Dormi mais. Dormi o resto da tarde. E foi muito bom me levantar descansada, relaxada e ver as minhas filhas jogando Perfil juntas, se divertindo com o que tinham. Às vezes, sair de cena faz bem.

No outro dia desci para ir ao mercado e estava tendo atividades no play. Fui dar uma espiada e acabei entrando na brincadeira. Me alonguei e fiz alguns exercícios de Pilates, mesmo sem estar com a roupa adequada. Tipo nem aí, sabe? Parece que essa esticada daqui, concentração dali, um pouco de força e mais uma dose de equilíbrio, era o que eu estava precisando.


Quando eu já estava resolvida no meu dilema casa-passeio-casa-passeio, a Sofia me convidou para ir ao cinema com ela ver "O Reino Gelado 2". Lá fomos nós para um programa mãe e filha.


Na saída do cinema a Ana Luiza e o pai nos esperavam para um almoço em família. Vimos a cidade ser colorida em tons de cinza e a chuva chegar trazendo frescor.


À noite fui ao cinema com a Ana Luiza ver "Ponte dos Espiões", um filme excelente sobre a Guerra Fria. E durante o final de semana, nos intervalos da preguiça, vimos "Magic Mike XXL" e "Samba".



O final de semana de dilemas acabou bem equilibrado com respeito às necessidades de cada um e convívio agradável. Sem intensidade, mas com muita tranquilidade.


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.

domingo, 29 de novembro de 2015

Risoto de Shitaki com Açafrão


Sábado à noite, bate aquela fome, aquela vontade de comer algo gostoso e a filha pede para eu fazer um risoto. Mas risoto de quê? Aí eu me lembro que ganhei uns produtos e entre eles tinha um açafrão e um livrinho cheio de receitas falando dos benefícios desse tempero.

Olho o que temos na geladeira e que ficaria bom em um risoto com açafrão, então escolhemos os shitakis. Assim saiu um risoto simples e delicioso.



O que utilizamos:

- 2 xícaras de arroz arbóreo;
- 1 litro de caldo de carne (usamos o caseiro que tínhamos congelado);
- 1 cebola grande picada;
- 1 colher de sopa de açafrão;
- 60 g de manteiga sem sal;
- 150 ml de vinho branco seco;
- 20 ml de azeite extra virgem;
- 30 g de queijo parmesão ralado;
- 1 bandeja de shitaki (aproximadamente 200 g);
- 4 dentes de alho;
- sal e pimenta a gosto.



Como fizemos:


Em uma frigideira refogamos o shitaki limpo com azeite e os quatro dentes de alho picados. Acertamos o sal e um pouco de pimenta. 

Fervemos o caldo de carne.

Em uma frigideira de borda bem alta colocamos uma colher de azeite, 30 g de manteiga, a cebola picada e deixamos "chorar". Acrescentamos o arroz e misturamos até os grãos ficarem brilhando. Colocamos 100 ml de vinho, sempre mexendo, e deixamos apurar. Assim que o arroz ficou quase seco começamos a adicionar o caldo de carne, uma concha por vez, que estava fervendo. Fomos colocando duas conchas de caldo por vez sempre misturando até o arroz ficar al dente. No meio do cozimento, aproximadamente 10 minutos após o início, colocamos uma colher de sopa de açafrão e misturamos. Continuamos colocando o caldo até o cozimento. Desligamos o fogo e acrescentamos o queijo ralado.

Simples, rápido e bem gostoso.



Outras receitas de risoto já testadas e aprovadas:

- Risoto de camarão com Camembert;
- Risoto de morangos com espumante;
- Risoto de abóbora com queijo de cabra;
- Risoto verde;
- Risoto de shimeji, nirá e abacaxi;
- Arroz com legumes e queijo;
- Risoto "aos perfumes da horta";
- Risoto de limão siciliano com salmão defumado;
- Risoto de camarão, limão siciliano e alho poró;
- Risoto de palmito pupunha, tomate e rúcula.

sábado, 28 de novembro de 2015

A Semana 94 - Perdendo para ganhar

Eu tenho sentido uma necessidade de ficar mais centrada, focada, em uma coisa só. Tenho sentido que esse volume todo de informação tem me deixado muito na superfície de tudo. São tantos livros para ler que não tenho me dado um tempo para, após a leitura de um livro, sentir o que ele causou em mim. Fecho um livro e já começo outro. São tantos filmes para ver e que ficam tão pouco tempo em cartaz que mal acabo de assistir a um e já estou pensando no próximo. Aliás, antes mesmo de assistir o escolhido da vez, durante os trailers, a minha lista de filmes para ver aumenta. São tantas notícias correndo na time line que mal tenho tempo de ser impactada por uma, já estou sentindo a outra. São tantos restaurantes disponíveis com pratos e sabores diferentes que repetir o mesmo parece perda de tempo.

Perda de tempo... durante essa semana eu senti a necessidade de perder tempo com volume de informação para ganhar tempo com intensidade de emoções. Desacelerei. Foquei. Observei.

E mesmo assim ainda tenho algumas coisinhas para contar.

Eu tinha pedido comida no trabalho, não sairia para almoçar, quando uma amiga chegou avisando que arrumou alguém para comprar o meu almoço e que nós iríamos experimentar um restaurante novo no Jardim Botânico. Como chutar o pau da barraca faz parte do meu dicionário, topei na hora. O tal restaurante novo estava fechado e acabamos indo a um antigo. Tão antigo que a última vez que eu tinha estado lá, a Ana Luiza ainda era bem pequena. Foi um almoço de recordações.

Como não tirei fotos do almoço peguei essa do site Tripadvisor

A Ana Luiza teve um "Kalango" (vou falar desse tal Kalango com mais detalhes) e meu coração de mãe ficou acelerado e para dar uma acalmada nas emoções eu preparei, ou melhor, pedi pelo telefone e deixei a mesa arrumada, um prato japonês para quando ela chegasse. É uma ótima oportunidade de sentarmos juntas, conversarmos um pouco e eu poder sentir qual foi o "clima da balada".


Saí com uma amiga para "jogar conversa dentro", desabafar e rir bastante. O encontro fez bem à alma e ao coração, como eu contei AQUI.


Vi "Master Chef Jr." e "The Voice Brasil" com a Ana Luiza, aproveitando o momento para ficarmos mais próximas e trocarmos opiniões.

Fui a minha aula de pintura e levei brownie para as amigas, como uma forma de carinho e atenção.


A pintura me desacelera, me faz ter mais atenção aos detalhes, acalma a minha ansiedade, já que não adianta querer resolver na primeira pincelada (precisamos de várias camadas) e, acima de tudo, me coloca em contato com a minha humanidade, uma vez que a beleza não está na perfeição, mas no conjunto da obra. 

Nessa semana eu fiquei bem afastada das redes sociais, bem mais devagar, reservei alguns momentos para fazer absolutamente nada e confesso que nessas horas eu tive a sensação de perda de tempo e uma certa culpa por estar deixando o tempo passar. Mas no balanço final essa perda de tempo me fez bem. Me fez ganhar uma certa calma e me reabastecer de energia.  

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Se faz bem à alma, faz bem ao coração

A pessoa sai cedo para fazer o exame que foi pedido pela médica e agendado pelo marido. Ela sabe o local, o horário e que não precisa de preparo. Agora, saber qual é o exame já é querer saber detalhes demais, né? Pra quê? Vai ter que fazer de qualquer jeito.
Chega ao laboratório e aguarda sua vez mais interessada em ler o livro que está na sua bolsa do que saber qual é o bendito exame que vai fazer.
Somente quando entra no consultório é que pergunta ao médico.
- Dr. qual o exame que eu vou fazer?
- Ecocardiograma bidimensional com color doppler e ecocolordoppler de artérias carótidas e vertebrais.
A pessoa revira os olhos, contrai o lado direito da boca, respira fundo como quem fez M e lamenta ter escolhido justamente a noite anterior para faltar a academia e ir tomar vinho com a amiga. (Na verdade nas últimas três semanas a pessoa tem escolhido faltar a tal academia para fazer algo que faça bem a mente).
- Iiihhhh Dr. ontem à noite eu tomei UM vinhozinho, será que tem problema? Pergunta com voz de quem está confessando um pecado e se desculpando ao mesmo tempo.
- Que nada! Devia ter tomado dois! Responde o médico simpático, animado e tranquilizador.
- Ai que bom! Porque eu, na verdade, tomei três. Respira aliviada.

Tumtum, bate coração pra cá, exame sendo feito pra lá e sai o resultado: tudo ótimo e em perfeito estado.

Artérias desopiladas, coração saltitante e sangue fluindo alegremente. A pessoa adverte: rir com as amigas faz bem à alma e se faz bem à alma, faz bem ao coração.

Publicado no FB bem AQUI.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Mãe de Aquário

Imagem obtida na internet



A filha adolescente nessa fase de se descobrir, descobriu o tal do horóscopo. Ai meu sais...


- Mãe, posso fazer o meu Mapa Astral?

- Não. (A resposta foi dada simples assim e isso causou espanto na Ana Luiza).

- Nãããão???? Por quê?

- Porque eu acho essa parada de signo meio perigosa na sua idade. Alguém fala que capricorniano é ligado em grana e aí a pessoa fica com isso na cabeça e se torna realmente ligada em grana. O mapa diz que capricorniano tem tendência a sofrer e aí a pessoa passa a sofrer até em viagem pra Disney porque é capricorniana, capricornianos são sofredores, então bora sofrer. Não gosto dessa parada de conceitos prévios. Não acho legal isso de enquadrar as pessoas em características simplesmente porque nasceram em uma determinada configuração do universo. E a liberdade de ser o que queremos ser?

- Mas mãe, eu quero usar o mapa astral para trabalhar as características que eu não achar legal.

- Filha, pra isso que eu te coloquei na psicóloga. Lá você vai ter a oportunidade de se conhecer sem formatos predefinidos.

- É mãe, a psicóóóóloga, para fazer a minha orientação vocacional, me perguntou qual o meu signo?

- Sério? A psicóloga que eu pesquisei? Que eu peguei indicação? Que eu conversei? Que eu pago? Perguntou isso? Você tá de brincadeira comigo, né?

- Não, mãe. Ela perguntou sim e eu ainda perguntei de volta se isso de signo fazia diferença e ela responde: claro que faz!

- Ah, vou ter uma conversa séria com essa psicóloga.

- Mas mãe, eu não entendo porque dessa sua implicância com horóscopo, signos, mapa astral. Juro, não entendo.

- Filha é porque eu sou aquariana e aquarianos não gostam de horóscopo. Aquarianos não gostam de se sentirem moldados como massinhas de modelar. Aquarianos gostam da liberdade de serem o que quiserem ser.

- Agora sim ficou bem claro, você não gosta de horóscopo por causa do seu signo.

- Isso mesmo! E só para ficar mais claro ainda já tive a conversa séria com a psicóloga. Mandei um WhatsApp pedindo a indicação de algum profissional sério para fazer o nosso Mapa Astral. Fiz isso porque aquarianos são pessoas abertas, tá?

E vamos juntas descobrir o Mapa Astral.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Sorvettone de Natal

A minha aula de pintura é como uma terapia para mim. Momento que eu relaxo, penso nas cores, converso com as amigas da turma, rimos, trocamos ideias e receitas. Muitas receitas. Na última aula, por exemplo, foram quatro receitas novas. Uma delas foi uma sobremesa para o Natal que eu chamei de Sorvettone de Natal e que já testei com a Sofia para ver se valia incluí-la na nossa ceia. 


Como aproveitar o Panettone que sobrou

O que utilizamos:

- 1 Chocottone;
- 1/2 pote de sorvete de flocos (pode ser de qualquer sabor);
- 1 copo de leite (a receita original indicava Sidra de Uva, ou guaraná para o caso de ter crianças na ceia);
- 1 caixa de creme de leite;
- 1 barra de chocolate ao leite;
- morangos e uvas para decorar.

Como fizemos:

Forramos a forma de pão com um plástico.


Cortamos o Panettone em fatias de um dedo de largura, molhamos levemente no leite e forramos a forma fazendo a primeira camada.


Cobrimos com sorvete de flocos fazendo a segunda camada.


E assim fomos intercalando até completar a forma. Levamos ao congelador por três horas.


Desenformamos puxando pelo plástico.


Viramos e retiramos o plástico.


Cobrimos com o ganache feito com o creme de leite e a barra de chocolate, e decoramos com as frutas.

Dica para aproveitar o Panettone que sobrou do Natal

O ideal seria voltar para o congelador por mais uma hora para ficar bem durinho.

Dica para aproveitar o Panettone que sobrou do Natal

Mas não resistimos a tanta tentação e comemos a primeira parte antes de ficar totalmente congelado. 

Aproveitando o a sobra do Panettone

Maravilhoso!

Outras receitas de Natal:

Rabanadas Recheadas;
- Pavê de Natal;
- Pavê Feliz Natal;
- Pavê de Chocottone;
- Café da Manhã Divertido de Natal;
- Muffin de Frutas Secas;
- Torta Desconstruída Floresta Negra;
- Balas de Gelatina para o Natal;
- Gelatina Cremosa de Frutas Vermelhas;
- Bacalhau grelhado com lascas de maçã e brócolis;
- Fritada de Bacalhau;

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Seja pra quem for, seja doador


Eu fui fazer uma visita ao HemoRio, Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti, e fiquei muito bem impressionada com a qualidade do trabalho, emocionada com algumas histórias que ouvi por lá e triste pelo cenário de doação aqui no Rio.




O nosso cenário de transfusões que já foi caótico, hoje está em um nível que dá orgulho em relação à qualidade e ao controle. Até os anos 80 a doação de sengue no Brasil era remunerada com os bancos de sangue particulares fazendo o comércio de sangue contaminado descaradamente. Com o aparecimento da AIDS, o caso dos irmãos Henfil contaminados por transfusões e uma repercussão macissa  na imprensa a torto e à direita, a doação remunerada foi proibida, os bancos de sangue privados foram desativados e a doação voluntária e controlada passou a ganhar corpo e volume. Com isso os casos de contaminação por transfusão de sangue atualmente caíram para zero.

Durante a visita eu pude saber mais sobre os exames que são feitos para garantir a qualidade do sangue doado e ver os laboratórios de perto.




Mas de qualquer forma o volume de doações ainda é pequeno. Isso ainda é reflexo da nossa história. Começamos com os bancos de sangue somente na Segunda Guerra Mundial, enquanto os outros países deram início já na Primeira Guerra. Começamos com a doação remunerada o que gerava “doadores profissionais”, pessoas que doavam por necessidade e nem sempre com a saúde em bom estado, enquanto nos outros países a doação já começou em caráter voluntário.

Em consequência da nossa história, hoje apenas 1,47% da população do Rio é doadora de sangue. No Japão essa estatística é de 7% e nos países da Europa é de 5%. Precisamos mudar esse cenário e mostrar que o caRIOca é do bem. É triste chegar ao HemoRio e ver as cadeiras vazias esperando por doadores.




Eu fiquei emocionada com as histórias como a da Dona Ana que tem um tipo de sangue raro e já salvou muita gente por aí. Inclusive uma bebezinha recém-nascida de Curitiba que precisou ter o sangue totalmente transfundido. Com uma bolsa do seu sangue, a Dona Ana salvou a vida dessa neném. Vale a pena ter uma história dessa na nossa vida para contarmos pros nossos filhos. Imagina, nós mães que temos o orgulho de dizer que geramos vidas, ainda acrescentarmos a nossa história de vida o orgulho de dizer que salvamos vida?

Diz a sabedoria popular que só temos uma vida completa quando plantamos uma árvore, escrevemos um livro e temos um filho. Acho que essa sabedoria ficaria mais sábia acrescentando e salvamos pelo menos uma vida.




Aproveitem que entre os dias 23 a 28 de novembro, o Hemorio recebe doadores de sangue para a Semana Nacional do Doador de Sangue na unidade (R. Frei Caneca, 8 – Centro/RJ) e também na maior coleta externa durante a semana no Brasil, recebendo cerca de 500 doadores/dia na Cinelândia-RJ, nos dias 25 a 27.

"Não importa a quem, faça o bem
Seja pra quem for, seja doador"




Para comemorar esta data, foi lançado o Hemopics, uma plataforma para mostrar ao doador a importância da sua doação. Por meio do aplicativo, ao tirar uma foto, o usuário saberá o nível de estoque de sangue, incentivando seus seguidores a participarem do movimento de doação de sangue, por meio do compartilhamento da imagem em suas redes sociais.



segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Findi 47 de 2015 - Comida, diversão e arte



Neste final de semana, depois de trabalhar no feriado de sexta-feira, eu estava na maior disposição para curtir a rotina de casa. Mesmo com chuva forte eu fui à feira (adoro), comprei ingredientes para o nosso almoço. Preparei um salmão assado no papel alumínio que ficou “dos Deuses”. Para acompanhar eu fiz palmito pupunha e aspargo assado com cebola roxa.


O meu lado dona de casa estava mesmo aflorado e ajudei a Sofia a fazer um Soverttone (receita AQUI), receita teste para a nossa ceia de Natal.




Aproveitei para ter um momento casal e fomos ver “007 Spectre”. Gostei, mas não amei. Valeu pelo programa e pela companhia.


 


O sonho da Sofia era ter uma árvore de Natal branca. Então fomos procurar uma com ela, mas não achamos nenhuma árvore branca e grande como ela queria. Então, trouxemos uma pequena e esse ano teremos duas árvores.

A manhã de domingo ficou por conta de montar as árvores. 


Recebi a visita da minha amiga, madrinha da Sofia, que agora é minha amiga de aula de pintura e fizemos nosso "dever de casa" juntas.


Tirei um tempo para fazer um programa só com a Ana Luiza e fomos ver "Aliança do Crime". Ótimo! Johnny Depp arrebentando como sempre.


À noite para finalizar vi com a Sofia o filme "Globo de Neve" que ela escolheu no Netflix.


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.

domingo, 22 de novembro de 2015

Risoto de Camarão com Camembert


Na semana passada eu fiz uma aula de culinária com a Bianca Berenguer que foi sensacional. No cardápio, entre massas e sobremesas deliciosas, tinha um risoto de lagostin com camembert de tirar o chapéu.

Como risoto é o prato favorito da Ana Luiza, resolvi fazer em casa a receita levemente adaptada. Mesmo que a receita já esteja aqui no blog exatamente igual, não invalida quem tiver a oportunidade fazer a aula com ela. Nas aulas são dadas dicas e detalhes que fazem a diferença, além de outras receitas que valem muito a pena saborear.

A começar o nosso Risoto foi de Camarão com Camembert, bem parecido com o Risoto de Camarão, limão siciliano e alho poró que já fizemos antes.


O caldo do risoto faz toda a diferença. Eu fiz o caldo de legumes em casa. Primeiro eu vou contar uma historinha. Há algum tempo eu achava que fazer caldo caseiro era dificílimo, coisa de bam-bam-bam das panelas. Quando eu ouvia falar que tem que fazer o Mirepoix e o Bouquet Garni, eu já parava por aí. Com esses nomes só podia ser coisa muito difícil e as minhas habilidades culinárias se limitam a coisas simples, fáceis e práticas.

Depois de um tempo eu resolvi encarar os tais caldos e vi que é muito fácil. É só pegar cebola, aipo e cenoura, alguns temperos verdes, uns dentes de alho, tacar tudo na panela e deixar ferver por uma hora.

O que utilizamos nesse caldo de legumes:

- 3 litros de água;
- 1 cebola grande cortada ao meio;
- 1 aipo cortado;
- 1 cenoura grande cortada ao meio;
- 2 ramos de alho-poró;
- talos de salsa e cebolinha;
- 1 ramo de alecrim;
- 1 punhado de hortelão;
- 1 porção de louro;
- 4 dentes de alho sem casca;
- 1/2 limão siciliano (esse foi o diferencial desse caldo. Ficou ótimo porque o risoto era de camarão).

Quem quiser pode colocar sal e pimenta a gosto, mas eu prefiro deixar para equilibrar na receita.


Caldo de legumes feito em casa

Colocamos tudo na panela com três litros de água e deixamos ferver por uma hora.


Caldo de legumes feito em casa

Risoto de Camarão com Camembert.

O que utilizamos:



- 2 xícaras de arroz arbóreo;
- 1 litro de caldo de legumes;
- 1/2 cebola grande picada;
- 60 g de manteiga sem sal;
- 100 ml de vinho branco seco;
- 20 ml de azeite extra virgem;
- 30 g de queijo parmesão ralado;
- 125 g de queijo Camembert picado (nós retiramos a casquinha)
- 1/2 limão siciliano;
- 1 dente de alho;
- sal e pimenta a gosto;
- páprica;
- 400 g de camarão.

Como fizemos:

Raspamos a casca do limão siciliano sem atingir a parte branca e reservamos. Fizemos o suco com o limão siciliano e também reservamos.

Em uma frigideira de borda bem alta colocamos uma colher de azeite, 30 g de manteiga, a cebola picada e deixamos "chorar". Acrescentamos o arroz e misturamos até os grãos ficarem brilhando. Colocamos 100 ml de vinho, sempre mexendo, e deixamos apurar. Assim que o arroz ficou quase seco começamos a adicionar o caldo de legumes, uma concha por vez, que estava fervendo. Fomos colocando duas conchas de caldo por vez sempre misturando até o arroz ficar al dente. No meio do cozimento, aproximadamente 10 minutos após o início, colocamos o suco do limão siciliano.





No final do cozimento acrescentamos queijo parmesão, misturamos e desligamos o fogo. Adicionamos o queijo camembert e por último o camarão refogado no azeite e temperado com páprica, as raspas de limão, um pouco de sal e pimenta, e misturamos.

Servimos imediatamente e nos deliciamos. Só se ouvia huummm, huummm, huummm.

Como fizemos o camarão:



Refogamos no azeite com um dente de alho. Assim que o alho começou a dourar espalhamos o camarão na frigideira, salpicamos um pouco de sal e páprica, depois viramos os camarões na frigideira para dourarem o outro lado e salpicamos mais um pouquinho de sal e páprica.


Outras receitas de risoto já testadas e aprovadas:

- Risoto de morangos com espumante;
- Risoto de abóbora com queijo de cabra;
- Risoto verde;
- Risoto de shimeji, nirá e abacaxi;
- Arroz com legumes e queijo;
- Risoto "aos perfumes da horta";
- Risoto de limão siciliano com salmão defumado;
- Risoto de camarão, limão siciliano e alho poró;

sábado, 21 de novembro de 2015

A Semana 93 - De volta para o passado recente

Eu fiquei três semanas sem postar sobre A Semana, hábito que eu "garrei" desde a BC Pequenas Felicidades, post semanal que ressaltava as coisas boas que fizeram diferença na minha semana. Foram até hoje 101 Pequenas Felicidade e 89 semanas. Ou seja, 190 semanas relatadas no blog, sempre com foco nas coisas boas e sem falha. Mas nessas três últimas semana bateu uma preguiça, uma sensação de mesmice, sei lá, uma coisa meio esquisita. Mas a verdade é que senti saudades de parar esse tempo para rever a minha semana, avaliar o que teve de produtivo, questionar se estou priorizando o mais importante, rever se estou dando atenção as várias Christianas que habitam esse corpitcho.

Então bora ver o que rolou na última semana.

- Teve estudo com as filhas que passaram direto e reto graças ao esforço e dedicação delas. E eu fico muito orgulhosa e feliz.


- Teve família reunida almoçando com direito a melhor batata rostie do Rio de Janeiro.


- Teve reunião de amigos aqui em casa. A minha amiga Simone trouxe um brigadeiro branco com biscoito de chocolate que foi um sucesso.


- Teve muito trabalho, mas muito mesmo, do tipo nem sair para almoçar. E para relaxar escolhi um dia para começar com um café da manhã com uma amiga e terminar com uma caipirinha entre amigas. Uma horinha antes e uma horinha depois foram suficientes para repor as minhas energias. 


- Nessa semana eu ouvi de três amigas diferentes, amigas de fontes diferentes, que estavam querendo chutar o pau da barraca, tipo sumir, que precisavam ter tempo para elas mesmas, que só viviam de casa e trabalho. Justamente para não entrar nesse sentimento que eu me permito fazer coisas para mim. Coisas que me agradem, que façam eu me sentir mais interessante e ter vontade de chegar em casa ou no trabalho com novidades para compartilhar. Daí, nesta semana eu fiz uma aula de culinária maravilhosa, animada, descontraída e cheia de receitas deliciosas.


- Já que aprendi receita nova, nada melhor do que fazê-la em casa. Com esse incentivo teve mãe e filha na cozinha adaptando a receita aprendida e colocando seus toques pessoais. Fizemos um risoto de camarão com camembert que ficou "dos Deuses". Tô achando que vai rolar receita aqui no blog.


- Fui a minha aula de pintura e consegui finalizar a segunda peça de um jogo americano de quatro. Já iniciei a terceira e estou doida para ver o resultado completo.


- Fiz uma visita ao HemoRio que me emocionou e impressionou muito positivamente. Na semana que vem será a Semana do Doador de 23 a 28/11 no HemoRio e de 25 a 27 na Cinelândia, e vou contar da minha visita aqui no blog.


Revendo a minha semana eu percebi que estou muito focada em comida (caraca, das oito imagens, cinco se referem à comida e bebida. Tô na fase da gula mesmo. Vale a pena pensar em como a minha diversão e lazer estão relacionados à comida.) e estou cheia de dívidas de posts para o blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo