segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Findi 09 de 2016 - Parabéns!


Os finais de semana por aqui andam calorentos e isso estimula a vontade de ficar em casa, em ritmo bem lento.

Neste final de semana saímos da toca ventilada para comemorar o aniversário do meu pai no clube. Rolou churrasco, docinhos e bolo decorado. Quem disse que festa temática é coisa de criança? Atenção para o detalhe da vela.



Uma ótima oportunidade para reunir a família.


No domingo eu trabalhei o dia todo. E como tudo tem um lado positivo, enquanto a galera curtia o calorzão do Hell de Janeiro eu estava no friozinho com direito a casaco e tudo. E para finalizar o dia teve almojanta de pizza.


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.


domingo, 28 de fevereiro de 2016

Um Rio de Refúgios: Capela Nossa Senhora da Cabeça


Como cantou Djavan na canção "Delírio dos Mortais", "Rio / Pra delírio dos mortais / Pedras monumentais / Combinaram aqui / Um encontro colossal" e Tom Jobim no conhecidíssimo "Samba do Avião", "Rio de sol, de céu, de mar", a Cidade Maravilhosa é linda pelo seu contorno, suas praias, sua vegetação, seu povo, algumas cachoeiras, seu samba e pontos turísticos com interferências humanas perfeitas, como o Pão de Açúcar (colocar aquele bondinho ali ligando os dois morros foi perfeito) e o Cristo Redentor que complementou perfeitamente com o topo do Morro do Mucambo.

Mais o Rio me encanta com seus refúgios, seus cantos ainda não conhecidos, suas histórias pouco estudadas e a possibilidade de me surpreender a qualquer momento com uma novidade. 

Foi assim ao folhear o livro "Meu Livro do Rio" de Luiz André Alzer e Bruno Drummond, este último conhecido nosso da coluna "Gente Fina" da Revista O Globo e do blog "Anotando Gente", e chegar na sessão "Lugares incríveis que eu preciso mostrar que visitei" e me deparar com essa charmosa Capela Nossa Senhora da Cabeça, que eu nem sonhava que existia ali naquele bairro que eu já frequentei muito, naquela rua que eu já passei milhares de vezes, após aquele portão azul que eu nunca me dei conta que estava ali.


Na primeira oportunidade que tive, não pude deixar de ir lá conferir esse refúgio no meio da mata.


Cheio de surpresas singelas.


Um visual incrível na chegada.


E na saída, em uma pequena brecha entre a vegetação, podemos avistar a Lagoa ao fundo.



Lá em cima, depois de caminhar por uma pequena trilha de aproximadamente 300 metros começamos a avistar entre árvores de todos os tipos a pequena construção no final do caminho.


A sensação ao ver a capela entre a mata, longe do barulho dos carros é de volta ao tempo, viagem a uma época que não vivemos, mas que podemos imaginar e nos sentir em pleno século XVII.

A capela, apesar de ter passado por algumas reformas ao longo dos anos, manteve suas características originais e, por isso, é tida como um exemplar da arquitetura do período colonial.


Atualmente a capela não fica aberta para visitação ao seu interior. Uma pena! Eu fiquei curiosa para ver o pequeno altar e saber como é o interior. Mas busquei na internet e encontrei a imagem abaixo no blog "Revista Pulso", no post "Recanto escondido: capela Nossa Senhora da Cabeça".




O meu foco da visita foi a capela e somente na saída me atentei para o local onde ela está localizada, a Casa Maternal Mello Mattos, um terreno com muita história para contar. Vou voltar lá para ter mais histórias para contar,

A capela fica na Rua Faro, 80 e pode ser visitada no seu exterior, de segunda à sexta-feira, de 9h às 16h30. Basta chegar no portão azul e se identificar. Pode entrar com o carro até a Casa Maternal Mello Mattos e depois seguir caminhando. Contato pelo telefone (21) 2512-5565.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

A Semana 9 - NovIdade


A semana foi bem como eu gosto, cheia de novidade. 

Assim que eu escrevi a palavra novidade eu imediatamente pensei: "novidade e não nova idade". Mas aí eu me toque eu é nova idade sim, afinal foi a minha primeira semana após o meu aniversário. Então, até caiu bem essa semana com nova idade e cheia de novidade.

No trabalho teve o evento #ChamaGeral para apresentar as 329 cidades que farão parte do percurso do revezamento da Tocha Olímpica no Brasil, do uniforme dos condutores e revelou a lista com 16 condutores da tocha. 

Sinceramente, eu acho que deveria ter feito um post exclusivo para contar desse momento que é muito significativo para quem gosta de esporte, vibra com os Jogos Olímpicos e que se sente realizada em poder fazer parte disso tudo. Mas ando tão enrolada que acabo deixando para 'blogar' depois e aí perco o time.  Mas pensando bem eu acho que ainda vale um post mesmo que atrasadinho. Vamos ser se rola nessa próxima semana.


Como ando trabalhando alguns sábados e alguns domingos por conta dos eventos-teste, eu tive direito a uma folga no meio da semana. E aproveitei muito. Resolvi curtir o dia como se fosse um dia de férias.

Comecei com um café da manhã no Empório Jardim, um local relativamente novo e que eu estava louca para conhecer por ter sido eleito pela Revista Veja como o melhor café da manhã do Rio no ano passado. A casa que me traz recordações por ser onde era o restaurante Alface's que eu frequentei muito é supercharmosa e o café da manhã é mesmo dos melhores.


De lá fui conhecer a Capela Nossa Senhora da Cabeça, uma das mais antigas igrejas do Rio e que é pouquíssimo conhecida do carioca. Fica bem ali no Jardim Botânico. Vou falar dessa capela cheia de charme e história em um post mais detalhado.


Capela visitada, segui para um passeio tranquilo no Jardim Botânico. Me surpreendi mais uma vez com o meu lugar preferido da cidade. Dessa vez o espetáculo ficou por conta dos pés de jambo que espalharam suas flores pelo chão formando tapetes cor-de-rosa lindíssimos.


Cansada eu depois de tanta andança? Que nada! Dali fui dar uma relaxada nas cachoeiras do Parque Lage. Falei da Trilha das Cacheiras no post "Parque Lage que poucos conhecem".


E para completar as novidades da semana fomos, na hora do almoço, experimentar um restaurante novo que abriu na Cidade Nova. 


E a Brasserie Cidade Nova foi aprovadíssima! O picadinho com creme de baroa e farofa de Panko estava delicioso. E a sobremesa... huummm... não vou nem falar para não ficar com água na boca. 


Fechei a semana vendo o filme "S.O.S Mulheres ao Mar 2" com a Ana Luiza. Nós duas no sofá dando boas risadas. Nós tínhamos visto o primeiro, "S.O.S. Mulheres ao Mar", e tínhamos gostado bastante. 

O trio feminino do elenco é bem engraçado, a química entre a Giovanna Antonelli e o Gianecchini é incrível, o filme é divertido para ver com a família, mas de qualquer forma não superou o primeiro.




Busquei um olhar novo para a minha rotina e encontrei muita novidade que deixaram os meus dias mais emocionantes, vibrantes, alegres e divertidos.

Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A Parada da vez: Stand Up Paddle


O esporte está muito misturado com o lazer do carioca. Em quase toda a nossa programação de lazer está envolvido algum tipo de esporte. Tem a galera que tem a turma e esporte para chamar de seu, como o povo do surfe, a turma da rede de vôlei, a galera do beach tênis e muitos outros. Mas tem a turminha da minha linha que não é esportista, mas faz um programa com a amiga que é caminhar na praia, vai com a família andar no Jardim Botânico, tira o sábado de manhã para fazer a trilha do Parque Lage até o Cristo, leva as crianças para dar uma volta de bicicleta na Lagoa, aproveita a orla fechado no domingo para andar de patins e assim, em um simples passeio tá lá o esporte envolvido na causa.

Nessas férias a nossa diversão na praia ficou por conta do Standa Up Paddle. Eu já tinha brincado no pranchão uma vez ou outra, mas a Sofia descobriu e se encantou com o SUP nesse verão.


Chegou ali meio de fininho, cheia de curiosidade, fez uma breve aulinha:

- de como subir na prancha - deita de barriga, dá um impulso na água com as pernas, sobe mais um pouco com a barriga, joga a perna direita em cima da prancha, depois a outra até ficar deitada de bruços sobre a prancha. Aí ajoelha e vai.

- de segurança - o colete é fundamental; não caia, se jogue; mantenha a distância segura do outro remador; reme acompanhado e em local conhecido.


- de como remar - observe o centro da prancha (bem ali na mão esquerda do instrutor), ajoelhe-se nessa nessa direção, alinhe os pés lado a lado com a distância equivalente à dos ombros, fique em pé com os joelhos levemente flexionados, mantenha o corpo reto. A mão do lado da remada sempre fica em baixo no remo. Ou seja, quando rema à direita a mão direita segura o remo em baixo e a mão esquerda em cima. Ao trocar o lado da remada troca o posicionamento das mãos.


Preparadas? Então bora pro mar com poucas ondas, pouco vento e um visual incrível.


Já nos primeiros minutos de prática, a criança já estava remando de pé e curtindo muito.


O SUP, apesar de ser muito fácil e poder ser praticado por crianças a partir de oito anos (essa é a idade mínima para alugar a prancha no Arpoador) e adultos de todas as idades, sem necessidade de um condicionamento físico prévio (é importante saber nadar, é claro) exige um trabalho de equilíbrio constante. Para manter o equilíbrio é necessário manter as pernas e o abdômen contraídos, exigindo assim um trabalho de todo o corpo, pés, pernas, abdômen e braços.

Taí um esporte que a gente pratica sem perceber que está se exercitando. É puro lazer com uma deliciosa integração com a natureza.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Findi 08 de 2016 - De tudo um pouco


Final de semana do bom esse. Teve de tudo um pouco. Começou cedo, mas bem cedo mesmo. Eu até achei que veria o último nascer do sol do horário de verão quando saí para trabalhar, mas não rolou porque o dia amanheceu nublado. Vi apenas o dia clarear. Ah, sim, teve trabalho nesse findi. 

Depois foi hora de curtir Rock and Roll da melhor qualidade na companhia da filha. Saímos 100% Staisfaction, tanto que já contei AQUI.


Para compensar um sábado intenso, o domingo foi de calmaria em casa. Comecei um novo projeto de pintura e tive a ajuda das filhas.



Ficamos de bobeira em casa, marido pediu almoço japonês, vimos algumas séries (a Sofia descobriu "Once Upon a Time" e "Pretty Little Liars", duas séries que eu já vi com a Ana Luiza) e quando resolvemos dar uma voltinha para lanchar um açaí, quem chegou? A chuva! O jeito foi ficar na varanda, deitadas na rede, ouvindo o barulho da chuva e comendo pipoca. Tudo de bom!


Assim o final de semana que começou em alta velocidade acabou em câmera lenta. 


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

100 % Staisfaction

Ontem foi dia de Rolling Stones no Maracanã e eu estava lá, não podia deixar de ir. Já tinha aproveitado a oportunidade ver vê-los ao vivo e a cores na primeira vez que estiveram em turnê pelo Brasil, em 1995 no Maraca, e sabia que a energia que rola no show é forte, muito forte.  A turnê "Voodoo Lounge" fez parte, na época, do Festival Hollywood Rock.

Depois disso as "Pedram Rolaram" em terra Brasilis mais duas vezes e eu não fui, uma em 1998 e outra em 2006. Então agora já estava mais do que na hora de sentir a pancada no corpo, na alma e no coração que é um show deste porte.



E o melhor, mostrar para a Ana Luiza o que é Rock and Roll de verdade.


O Maracanã estava lotado e nós ficamos na arquibancada. Já fui a vários shows no Maracanã, como Rock in Rio, Madona e próprio Stones para saber que da 'arquiba' a gente aproveita melhor. Tá vendo a setina na foto de MARCOS DE PAULA/STAFF IMAGES do página Rolling Stones no Brasil? Bem ali que a gente estava.


Assim que chegamos ligeiramente molhados por causa da tempestade que desabou antes do show (com chuva fica mais Rock and Roll) o show de abertura do "Ultraje A Rigor" estava chegando ao fim com a música "Nós Vamos Invadir Sua Praia".  Bateu aquela saudade do Rock brasileiro dos anos 80. Ah, bateu!

Com um pequeno atraso de uns 20 minutos por causa de uma falha técnica nos telões, os Stones invadiram o palco do Maracanã. A pele arrepiou, os olhos encheram de lágrimas. Muita emoção.

Mick Jagger magrelo, meio cadavérico, desengonçado, não importa, ele arrebenta. Ele contagia. Ele empolga. Cada música é uma pancada de energia. Como diz a Martha Medeiros na crônica "100% Satisfaction": "Mick Jagger seduz com todos os instrumentos de que dispõe: voz, corpo, guitarra, gaita de boca, e a boca, ela própria."


Keith Richards faz a guitarra chorar, gemer, gritar. E a gente vai junto.


Foram duas horas de showzaço! Todas as músicas provocam tipo uma catarse no público já que são todas bem conhecidas. Rolling Stones não precisam de música nova, eles podem fazer mais do mesmo sempre. Tá têm história e repertório para isso. E para o público ficar mais contagiado e envolvido ainda, Mick Jagger se esforçou para fazer contato com a galera arriscando no Português. Até brincou falando o "Tá favorável" se mostrando atualizado com a rapaziada local já que o hit do MC Bin Laden "Tá Tranquilo, Tá Favorável" tá na boca da galera. Também falou do tal calor carioca, esse que a gente tem sentido na pele e resumiu bem: "um calor do caralho"

Quando apresentou a banda brincou dizendo que Ron Wood será no novo mascote da Olimpíadas, mas nessa hora a emoção ficou por conta da timidez de Keith Richards que se mostrou emocionado e sem saber o que fazer diante dos aplausos do público. Como disse a Ana Luiza: ele é muito fofo!

Aliás, a Ana Luiza toda hora falava: adorei esse velhinho da guitarra. Esse velhinho da bateria é muito fofo! Sim, são coroas, estão com idade do avô dela, pode ser clichê, mas a verdade é que "os velhinhos estão com tudo". A gente estava exausta de tanto pular, dançar e cantar e eles lá no palco com a corda toda. Cantando, pulando, fazendo solos, correndo no palco enorme e contagiando a galera.

O show foi encerrado com 10 minutos de "Satisfaction", mas na verdade foram 2 horas de plena satisfaction.

No caminho de volta, extasiadas, felizes, satisfetas e exaustas, o comentário geral era a excelência do show e disposição dos coroas do Rock and Roll. Mais uma vez citando a Marta Medeiros, já que na crônica dela de hoje na Revista O Globo ela usou o Keith Richards e o show dos Stones para falar de jovialidade, "ser jovial é o único procedimento anti-idade com chance de sucesso.". E foi isso que os Rolling Stones nos mostraram, além do Rock de melhor qualidade. Podemos envelhecer e nos manter joviais. Isso satisfaz!


Você pode me encontrar também



sábado, 20 de fevereiro de 2016

A Semana 8 - Meu aniversário

A semana teve muita coisa boa, mas o meu aniversário que foi bem no meio dela acabou sendo muio especial para mim graças a minha família e meus amigos.

Com a correria que estou eu nem pensei em comemorações. Deixaria isso para o final de semana e já estava preparada para passar o dia do meu aniversário como um dia qualquer. Mas os amigos e a minha família não deixaram isso acontecer.

Esse foi o meu primeiro aniversário no trabalho atual, por isso eu estava meio tímida e disposta a deixar passar quieto. Mas o povo lembrou, ganhei muitos abraços e uma simples frase, pela sua gentileza, me fez ficar animada para comemorar:


"Hoje é seu aniversário. Você escolhe o lugar que você gosta de almoçar e a gente vai." Então fomos!
Almoço em grupo, em equipe e no com bolo surpresa.

Três amigas do trabalho antigo se deslocaram e foram almoçar comigo, o que me fez muito, muito feliz. Parece simples ir ali almoçar com a amiga aniversariante, mas eu sei que essa disponibilização de tempo e deslocamento no meio da semana é bem complicada, por isso o valor da atitude das mingas amigas.


Após o expediente fui para casa para ficar com as filhas e o marido, e no caminho tomei um banho de chuva delicioso. Fui caminhando tranquilamente enquanto caía a chuva de fim de tarde típica de verão. Uma chuva que renova, revigora, refresca e hidrata.


Cheguei em casa totalmente encharcada, pingando e o que me esperava? Uma surpresa! A Ana Luiza, Sofia e Renilda tinham preparado uma festa. Eu imagino a correria que foi para elas pensarem em tudo sem que eu percebesse. 

Elas fizeram cachorro quente, quibe, brigadeiro, tábua de frios, mousse de limão.



Pastelão (que eu já coloquei a receita AQUI) e outras coisinhas mais. Gente, muita coisa! Compraram as bebidas.





Convidaram a família e as minhas amigas.




Fizeram uma torta gelada de morango, que eu também já coloquei a receita AQUI, que ficou maravilhosa. 


Além da decoração linda feita pela Márcia, ficou extremamente saborosa.


Como se não bastasse tanto carinho, muitos amigos fizeram o meu dia mais feliz e mais inesquecível com tantas mensagens no Facebook.

Eu tentei retribuir agradecendo individualmente uma a uma até o o tal do FB achou que eu era um robô comentador louco e me deixou 24 h sem conseguir comentar nadica de nada. Pode?

E ainda teve bolo com vinho entre tintas e pincéis na aula de pintura.




Muito obrigada a todos que fizeram o meu dia mais feliz com demonstrações simples de carinho, gentileza e simpatia. Muito obrigada por todo amor envolvido. 

Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Pastelão da Nini

Uma figurinha fácil no lanche aqui em casa é este pastelão. Todo mundo ama! Se vai ter amiga por aqui, as meninas logo pedem para fazer o tal pastelão queridinho. E ele esteve na nossa mesa na festinha surpresa que as filhas prepararam para mim.





O que utilizamos:


Para a massa
- 2 xícaras de farinha de trigo;
- 1 colher de sopa cheia de manteiga;
- 1 xícara de leite bem morno;
- 1 ovo;
- 1 colher de café de fermento em pó;
- 1 gema.


Para cobrir

- 1 fio de azeite;
- 50 g de queijo ralado fresco;
- 1 pitada de sal (quem quiser. Nós não utilizamos porque o recheio já tem sal, a manteiga e o queijo ralado).

Para o recheio

- 100 g de queijo prato picado;
- 100 g de presunto picado;
- 1 peito de frango desfia do refogado com tomate.



Como fazemos:

Misturamos os ingredientes da massa até ficar consistente e soltando da mão.
Abrimos a massa com rolo, recheamos com o frango misturado com o queijo e o presunto, e enrolamos.
Misturamos a gema com um fio de azeite, passamos por cima do pastelão enrolado e polvilhamos o queijo ralado.
Colocamos em um tabuleiro e levamos ao forno médio até ficar moreninho.


O bom deste pastelão é que podemos aproveitar várias sobras e utilizar no recheio. É só usar a criatividade.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Torta gelada de morango do meu aniversário



Ontem foi meu aniversário e as filhas prepararam uma festinha surpresa em casa. Foi tudo pensado e preparado por elas, inclusive essa torta gelada de morangos que ficou maravilhosa.





Linda né? E vou compartilhar com vocês a receita que é de um caderno antigo que temos em casa.


Ingredientes:

Para a massa de pão de ló

- 4 claras;
- 4 colheres de sopa de açúcar;
- 4 gemas;
- 4 colheres de sopa de farinha de trigo;
- 1 colher de sopa de fermento em pó.

Para a calda

- 1 ½ xícara de água;
- 1 colher de sopa de açúcar;
- 10 morangos.

Para o recheio

- 1 lata de leite condensado;
- 2 gemas;
- 1 lata de leite;
- 1 caixa de morangos lavados e cortados em fatias.

Para o chantilly

- 200 g de creme de leite fresco;
- 1 colher de sopa de açúcar.

Para a decoração

- 1 caixa de morangos;
- 100 g de castanha-de-caju picada.



Como elas fizeram:

Massa de pão de ló

Separaram as claras e as gemas. Bateram as claras em neve até ficar em ponto de suspiro. Acrescentaram aos poucos o açúcar sempre batendo até ficar bem consistente.

Adicionaram as gemas e depois de bem misturados, aos poucos, foram colocando a farinha batendo sem parar até a mistura ficar bem homogênea. Por último adicionaram o fermento em pó.

Levaram para assar em forno pré-aquecido a 180ºC por 20 minutos.

Creme do recheio

Em uma panela, colocaram o leite condensado, o leite e a gema e mexeram em fogo médio até ficar um creme.


Calda
Enquanto a massa assava e o recheio esfriava, misturaram a água, o açúcar e os morangos em uma panela e levaram ao fogo por 10 minutos. Retiraram os morangos e deixaram apenas o caldo.


Chantilly

Bateram na batedeira o creme de leite com o açúcar até ficar bem firme.


Montagem do bolo

Desenformaram a massa, retiraram as camadas mais escuras do topo e do fundo e dividiram a massa ao meio. Colocaram uma fatia do bolo e regaram com a metade da calda, cobriram com o creme do recheio e salpicaram os morangos cortados. Colocaram a outra parte da massa de pão de ló por cima e regaram com o restante da calda. Levaram ao congelador por 10 minutos. Retiraram do congelador, cobriram com o chantilly e decoraram com os morangos. Deixaram na geladeira até a hora de servir e salpicaram as castanhas picadas.

Olha a Sofia com a madrinha que foi a responsável pela decoração da torta.




segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Findi 07 de 2016 - Nem só preguiça



Eu sei que falar que o calor no Rio está de enlouquecer já está bem repetitivo. Mas é que o meu ânimo para sair de casa é inversamente proporcional ao calor. Quanto mais calor, menos vontade eu tenho de ir para a rua.


Teve muita preguiça dormindo até tarde. Algo que ser mãe de adolescente me permite e eu desfruto com o maior prazer e sem culpa, já que elas também continuam dormindo.
Fiz o acabamento na pintura dos minicaixotes enquanto a Sofia lia a revista da Katy Perry e a Xina descansava mais um pouco.




Consegui entrar na cozinha com a ajuda de um superventilador ligado na máxima potência. Preparei um creme de abacate delicioso e um almoço especial de camarão com manga acompanhado de arroz de coco e pistache. Ficou tão bom, mas tão bom, que a receita já foi para o blog. Está bem AQUI.





Eu não sou muito chegada a passeios em shoppings, mas com o tal calor até o shopping se torna uma opção a ser considerada. Sendo assim, encarei um programa cultural com ar-condicionado garantido.

Fui com o marido ver o filme “O Regresso” . Como disse uma amiga no FB:  “'O Regresso' é um filme literalmente visceral! A fotografia é o grande destaque, impressionante e com ótimas tomadas de cena. Nesse quesito acho que é Oscar garantido. Além disso, tem o Leonardo DiCaprio que dá um show!!”. Realmente é um filme visceral com uma paisagem lindíssima e uma atuação sensacional do Leonardo DiCaprio. Mas para mim o tal visceral passou um pouco da medida e não consegui aproveitar a tranquilidade que a beleza da paisagem poderia me proporcionar.

Saindo do cinema fomos almoçar, tomar um vinho e conversar.

Quando já estávamos pensando em ir embora, encontramos uma amiga que nos deu as entradas para a peça “Maria Callas em Master Class" com a Christiane Torloni. Sinceramente, não seria uma peça que eu escolheria ver porque acho a atriz antipaticíssima e não conhecia nada sobre a Maria Callas. E foi ótimo. Me surpreendi muito positivamente. Valeu demais.





Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo