segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Filme Doutor Estranho


Eu tive a oportunidade de assistir, "Doutor Estranho", a esperadíssima produção da Marvel Studios que estreia esta semana, na cabine de imprensa.



Eu adorei! O filme é divertido, os efeitos especiais são sensacionais, a trilha sonora é ótima, e toda aquela aura mística, com umas tiradas meio filosofais, me conquistou e superou em muito as minhas expectativas em relação a um filme de super-herói.

Já na cena inicial em que conhecemos o vilão Kaecilius (Mads Mikkelsen) já senti o impacto dos efeitos especiais e dos cenários surreais.

Depois temos um retorno ao mundo real onde o Doutor Estranho se apresenta como o neurocirurgião Stephen Strange (Benedict Cumberbatch), um médico genial, mas frio, arrogante e prepotente. Nesse momento eu até me esqueci que estava assistindo a um filme de super-herói. Me vi envolvida em um drama sobre relacionamentos e torcendo para Christine Palmer (Rachel McAdams) mandar esse médico ir catar coquinho no asfalto quente junto com toda a sua esquisitice. Mas vou dizer que achei o casal muito fofo. Gostei da química que rolou entre o elenco.

Até que Strange, o todo poderoso e inatingível médico, sofre um acidente que afeta suas mãos e sua capacidade de praticar a medicina. O cara pira, fica obcecado por encontrar uma cura para si e com isso vai parar em Katmandy onde encontra a anciã.

Daí para frente a parada é muito psicodélica! Muito louca, muito estranha mesmo. 

O filme fala em segunda chance, em resignificar, em desconstruir e questiona a realidade que enxergamos. 

Estou doida para ver de novo e levar toda a família.

domingo, 30 de outubro de 2016

Morangos Flambados com sorvete


Eu e mais duas amigas nos encontramos uma na casa da outra com certa frequência. São aqueles encontros informais que de repente uma manda mensagem do tipo: hoje à noite lá em casa, quem tá dentro? Vamos com ou sem família, na maioria das vezes com a família ou pelo menos com parte dela. Sentamos à mesa, conversamos, rimos, bebemos, rimos mais um pouco, comemos, e assim a noite vai rolando. 

Quando começa a ficar perto da hora de partir, como que para postergar esse momento, surge o "peraí, ainda temos que fazer a sobremesa!".

Vou contar que esta é uma das partes mais gostosas e divertidas. Todos ali na cozinha, cada um com uma tarefa (tá certo que nem todos. Tem um ou outro que fica só palpitando. Mas isso também faz parte da diversão), preparando algo gostoso.

Um ponto legal é que a sobremesa a ser feita tem que ser algo rápido, prático e fácil de fazer. Já fizemos Funnel Cake e Crumble de Maçã, que é a nossa receita preferida nessas ocasiões de fim de reunião na cozinha.

Dessa vez teve novidade: morangos flambados. Quando a Simone anunciou que faríamos morangos flambados eu não levei fé. É que para mim qualquer coisa flambada é high level, coisa de chef, complicada, elaborada, difícil de fazer. Só que não! Eu me surpreendi em como é fácil! Tão fácil que eu trouxe a receita que fizemos para cá.


Receita de morangos flambados


O que utilizamos:

- 3 caixas de morangos;
- 3 colheres de sopa de açúcar;
- suco de 1 laranja;
- 1/2 xícara de conhaque.

Como fizemos:

Lavamos os morangos, cortamos ao meio e levamos à frigideira em fogo médio.
Acrescentamos o açúcar e deixamos fazer um pouco de água.

Receita de morangos flambados

Adicionamos o suco de laranja.

Receita de morangos flambados

Deixamos cozinhar por aproximadamente cinco minutos, mexendo um pouco. O suficiente para os morangos amolecerem levemente. Não podem ficar moles demais.


Desligamos o fogo, colocamos o conhaque e levamos um fósforo aceso próximo aos morangos. Deixamos flambar para sair o álcool. Assim as crianças podem comer à vontade e ninguém é pego na Lei Seca.

A foto abaixo foi no momento que estava flambando. Eu juro que tem fogo aceso sobre os morangos.

Receita de morangos flambados


Ficou maravilhoso e eu maravilhada com a facilidade e rapidez da receita. 

sábado, 29 de outubro de 2016

A Semana 44 - Chegou a hora


O final de semana foi mais uma vez em casa, mas cheio de atividades. O povo aqui tá gostando mesmo dessa coisa de ficar em casa todo mundo junto. 

Boa parte do tempo foi aproveitado na cozinha. Teve espaguete com legumes feito a seis mãos para o almoço, teve pizza caseira à noite onde cada um prepara a própria cobertura e teve uma espécie de lasanha de berinjela com abobrinha e sardinha. Esta última foi uma invenção meio louca, mas que deu certo.


E eu já ia me esquecendo do cupcake de limão com pistache que foi um sucesso.


Enquanto não estávamos cozinhando fizemos desodorante caseiro, várias experiências, pinturas e coloridos.


Depois de um final de semana inteiro em casa bate aquela vontade, quase uma necessidade mesmo, de contato com a natureza. Aproveitamos que tivemos que fazer uns exames e fomos fazer um passeio rápido no Parque do Martelo.


Eu fui convidada para a cabine de imprensa do filme "Doutor Estranho" e aproveitei a oportunidade para aliviar o estresse da última semana de trabalho. O filme é simplesmente sensacional. Eu preciso fazer um post sobre ele.


Cheguei em casa tão empolgada com o "Doutor Estranho", falando do filme e contando a novidade que o povo por aqui ficou com vontade de rever "Homem-Formiga". Aí rolou uma sessão de cinema em casa no sofá.


Essa coisa de ser a última semana no Rio2016 estava mexendo comigo e nada melhor para relaxar, para mudar o foco, do que preencher os intervalos com arte e estar acompanhada de pessoas que te fazem bem. Fui ao Espaço Cultural BNDES ver a exposição "Artes Visuais em Revista". Muito legal! O espaço é amplo, tranquilo, silencioso e a exposição está bem interessante. 


Como a exposição é pequena sobrou tempo suficiente para assistirmos uma sessão do Anima Mundi. Confesso que achei algumas animações muito loucas.


Finalmente chegou o dia da despedida. Apesar de ser sabido desde o início do projeto a nossa data de fechar o ciclo, este era o dia que queríamos que demorasse muito para chegar. Mas não tem jeito, ele chegou e foi comemorado com alegria. Afinal, não podia ser diferente. Um projeto que nos deu tantas alegrias, tanto orgulho, tantas emoções merece ser encerrado com festa. 


Chegou a hora de iniciar uma nova jornada, fazer novas histórias e alcançar novas linhas de chegadas.

Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Espaguete com Legumes para a família



Sabe aquele final de semana de preguiça com a família toda em casa, ninguém querendo sair pra nada e aí bate a fome? Nessa hora a gente precisa de uma receita prática, fácil, saborosa e que de preferência dê para a família fazer junto.

Foi isso que rolou por aqui. Pegamos o celular, colocamos uma play list e "simbora" todos para a cozinha para preparar o almoço. Fizemos este espaguete (tem coisa mais fácil do que fazer macarrão?) com legumes que ficou colorido e delicioso. Tão bom, mas tão bom que rolou repeteco no jantar.

Espaguete com legumes


O que utilizamos:

- 1/2 pacote de 500 g de espaguetinho 9 da Renata, ou seja, 250 g de macarrão;
- 1 cenoura média cortada em tirinhas;
- 1 abobrinha média cortada em tirinhas;
- 1/2 caixa de tomatinhos cereja cortado ao meio;
- 3 palmitos pupunha médios cortados em meia lua;
- 1 xícara de ervilhas frescas;
- 1 punhado de azeitonas pretas;
- 15 ovos de codorna cozidos e cortados ao meio;
- 1 cebola picada;
- 3 dentes de alho picados;
- folhas de manjericão;
- azeite e sal a gosto;
- queijo parmesão ralado fresco.

Como fizemos:

Colocamos sal na abobrinha cortada e deixamos em uma peneira para sair um pouco da água;
Cozinhamos a cenoura em água quente e reservamos;
Com a água da cenoura já quente e fervida, cozinhamos os palmitos pupunha e reservamos;
Com a água do palmito já quente e fervida, cozinhamos as ervilhas e reservamos.
Cozinhamos o macarrão com bastante água, um fio de óleo e um pouco de sal.
Quando o macarrão estava quase no ponto começamos a refogar os legumes.
Em uma frigideira funda colocamos um fio generoso de azeite e uma colher de sopa não muito cheia de manteiga (opcional). Douramos levemente a cebola picada e acrescentamos o alho. Adicionamos a abobrinha que estava crua e assim que ela soltou um pouco de água colocamos as cenouras, depois as ervilhas, os tomates, as folhas de manjericão e por último o palmito. 
Escorremos o macarrão, passamos na água fria para retirar a goma, colocamos na frigideira e misturamos aos legumes. Desligamos o fogo, adicionamos o ovo e a azeitona e misturamos levemente.

Foi divertido fazermos todos juntos, pois tinha atividade para todos. Uma cortou as cenouras, o outro cortou a abobrinha, outra colocou os ovos de codorna para cozinhar e assim fomos preparando o nosso rango.

Ficou de comer ajoelhados, rezando e pedindo mais.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Pequena Cientista: Experiência sobre densidade da água


Um dos programas de final de semana foi fazer uma arrumação nos livros, desapegar, separando alguns para doação. Durante esta arrumação encontramos os livros "Pequenos Cientistas" que já nos divertiu bastante, mas estava esquecido lá no fundo do armário.


Livro Pequenos Cientistas

A princípio eles, são quatro volumes, foram para a pilha do desapego até que a Sofia ficou curiosa e resolveu dar uma espiada nas tais experiências.

Livro Pequenos Cientistas

E não é que o livro, apesar de estar com a gente desde 2012, não era tão de criancinha assim?! A Sofia interessou-se por várias experiências e, claro, quis fazer algumas.

Como as escolhidas mexiam com água e corante, fomos para a cozinha. Ela toda animada.

Livro Pequeno Cientistas

E eu meio tensa imaginando o piso claro da minha cozinha inundado por água vermelha e azul se tornando uma grande poça roxa.

Livro Pequenos Cientistas

Mas deu tudo certo. Quando colocamos a água quente por cima, ela não se mistura com a água fria.
Já quando fazemos ao contrário, as águas se misturam.


A explicação para isso? Está tudo lá no livro. O líquido quente é mais leve.


A brincadeira foi tão boa que a Sofia quis fazer a experiência do vulcão. 


Eu não fotografei o resultado, mas deu supercerto.

Os livros "Pequenos Cientistas" saíram da pilha do desapego, voltaram para o armário de livros e vão ser usados por aqui por mais um tempo antes de irem divertir e ensinar a outras crianças.


terça-feira, 25 de outubro de 2016

Cupcake de Limão com Pistache



Domingo é dia de ligar o forno, aquecer a casa, perfumar com cheiro de bolo e preparar algo para o café da manhã de segunda e lanche na escola. Da produção deste domingo saíram cupcakes de limão com pistache. 

Receita de bolo de limão com pistache

A receita foi inspiração do programa Rainha da Cocada que a Sofia adora, assiste a todos os episódios e quer fazer todas as receitas. Acontece que nem sempre a gente consegue repetir. Foi o caso desse bolo de limão azedão. Até tentamos, mas o creme de limão com as cascas não deu certo. O nosso virou um caramelo. O jeito foi usar a ideia do bolo de limão com pistaches e fazer uma versão mais 'facinha', assim, mais ao nosso alcance, mais de acordo com os nossos dotes culinários.

O que utilizamos:

- suco de 3 limões;
- 1/2 xícara de mel;
- 3 ovos;
- 2 xícaras de farinha de trigo;
- 170 g de manteiga;
- 1 copo de iogurte natural (100 ml);
- 1 colher de sopa de fermento em pó;
- 1 punhado de pistache.

Como fizemos:

Misturamos o suco dos três limões, o mel e os ovos. Adicionamos a farinha peneirada e misturamos bem. Acrescentamos a manteiga e mexemos mais um pouco. Colocamos o iogurte e continuamos mexendo. Acrescentamos os pistaches e finalizamos com o fermento.

Arrumamos nas forminhas e levamos ao forno pré-aquecidos a 180ºC por aproximadamente 30 minutos.

Rendeu 12 cupcakes grandes mais um minibolo em formato de coração.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A Semana 43 - Só comédia



A semana foi como todas as outras, com muito trabalho em casa para organizar, muito trabalho no trabalho, encaixa daqui e dali para levar filha para ver vestido de formatura, ir às consultas médicas, almoçar com as amigas, e coisa e tal. 

Toda essa correria e agitação, que já é normal mais o volume de informações na cabeça, me causou um certo cansaço e eu senti uma necessidade enorme de relaxar. Ao chegar em casa no final do dia a minha vontade era de sentar no sofá e ver um filme leve, que me fizesse dar algumas risadas e me distraísse. E foi isso que eu fiz praticamente todos os dias. Daí o post desta semana só vai ter filmes no estilo comédia e/ou romance.


"O Natal dos Coopers" - Com um elenco de peso com Diane Keaton, Amanda Seyfried, Marisa Tomei. A história reúne quatro gerações de uma mesma família com dramas e conflitos específicos de cada fase. Apesar de o final ser bem previsível, o filme é divertido, com alguns diálogos regados de ironia, fala de casamento de longa data, de abrir mão da vida pessoal em dedicação aos filhos, separação, desemprego, de amor, união, tristeza e felicidade. 

Filme O Natal dos Coopers


Sinopse: "Na véspera de Ano Novo, a grande família Cooper se reúne, incluindo diversos namorados e maridos. Mas as confusões, surpresas e chegadas inesperadas fazem da noite uma verdadeira bagunça, testando o espírito familiar de cada um deles.".



"Até Que a Sorte nos Separe 3 - A Falência Final" - Juro que eu não esperava nada deste filme. A escolha dele acabou sendo porque a preguiça de pensar era tão grande que nem para escolher o filme eu queria pensar muito. Como este foi um dos primeiros que a NET me trouxe no critério de seleção e é o tipo de filme bom para ver com toda a família, foi ele mesmo. E sabe que foi uma surpresa hilária. Ri muito. Mais do que nos dois primeiros. 

Até que a Sorte nos Separe 3

Sinopse: "Após os acontecimentos do último filme, onde perdeu a herança da família em Las Vegas, Tino (Leandro Hassum) procura um emprego fixo, sem sucesso. Um dia, é atropelado pelo filho do homem mais rico do país. Ao acordar depois de sete meses em coma, se surpreenderá com a notícia de que sua filha e o rapaz estão apaixonados. Convidado para gerir as finanças da empresa do pai do genro, para gerar dinheiro que usará para bancar o casamento, Tino consegue o inimaginável: falir a empresa, a maior do Brasil - o que gera um colapso na economia nacional.".



"Amor ao Acaso" - Mais uma grata surpresa vinda de uma escolha ao acaso. Aliás, o que me levou a optar por este filme foi a história ser sobre uma mãe blogueira de filha adolescente. Gostei tanto do filme que ele até me inspirou a fazer um post: "Herats of Spring - o filme da mãe de adolescente e blogueira".
Filme Hearts of Spring

Sinopse: "Uma mãe blogueira de sucesso decide tentar encontrar o amor novamente, mas acaba descobrindo que o homem que ela odeia no mundo virtual é o homem que ela ama na vida real.".

"A Era do Gelo - O Big Bang" - Rolou um evento da Rede Telecine no Theatro Net Rio em homenagem ao Dia das Crianças para anunciar que o filme "A Era do Gelo: O Big Bang" já está disponível no NOW. Infelizmente não pudemos comparecer por causa de outros compromissos e a Sofia ficou meio chateada por isso. Mas quando chegamos em casa toda a chateação passou assim que ela viu o presskit que tinha chegado junto com o convite. Um cobertor foférrimo, megamacio, para cobrir as pernocas enquanto assiste aos filmes. Um convite pro aconchego, né?
E foi isso que rolou. 

Já tínhamos visto esse quinto filme da turma da "Era do Gelo" no cinema e valeu muito a pena rever em casa no maior chamego.


A Era do Gelo - O big Bang

Sinopse: "Depois que o esquilo Scrat, involuntariamente, provoca um acidente espacial em sua incansável perseguição pela noz, um enorme meteoro entra em rota de colisão com a Terra, ameaçando o lar de Manny, Diego, Sid e cia. Sem saber o que fazer para reverter a situação, eles terão que confiar em Buck, a elétrica doninha caolha do terceiro filme – único do grupo que realmente tem um plano para evitar o trágico fim de todos. Paralelamente, Mannie e Ellie têm que lidar com a iminente saída de Amora de casa, ao passo que Diego e Shira pensam em aumentar a família e Sid finalmente parece encontrar o amor."

"A Proposta" - Mais uma escolha pela categoria, comédia, e também por ter a Sandra Bullock. O filme é bem clichê daqueles que a gente já sabe o final, mas dá para relaxar, o visual é lindo, e a história é contada de forma que faz a gente se interessar. O personagem da Sandra Bullock começa como uma megera no estilo "O Vestido Veste Prada", mas a atriz sabe muito bem como se tornar adorável.

Filme A proposta


Sinopse: "Margaret Tate (Sandra Bullock) é uma poderosa editora de livros, que se vê em apuros ao ser comunicada de sua deportação para o país-natal, o Canadá. Para evitar que isto ocorra, ela declara estar noiva de Andrew Paxton (Ryan Reynolds), seu assistente. Perseguido por Margaret há anos, ele aceita participar da farsa, mas impõe algumas condições.".

PS: todos os filmes foram vistos no NOW. Somente "A Era do Gelo" que foi pago, os demais estão gratuitos.

É importante ouvirmos as nossas necessidades e atendermos as nossas vontades para nos sentirmos mais relaxadas, mais felizes e assim cumprirmos os nossos papéis, que são muitos, de forma mais leve, com mais prazer e alegria.


Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Hearts of Spring - o filme da mãe de adolescente e blogueira

Depois de um dia movimentado, como é a nossa rotina de mãe-mulher-profissional-dona-de-casa, muitas vezes eu quero relaxar no sofá vendo um filme leve, divertido, que me faça relaxar e me distraia da lista de funções do dia seguinte. Nestes casos recorro à NET e vou direto à Rede Telecine, na categoria comédia. Nada melhor do que uma comédia romântica no aconchego do sofá e no escurinho da sala pra dar aquela boa relaxada e fechar o dia com gosto de dia ganho e produtivo.

Ontem eu acabei escolhendo o filme "Amor ao Acaso", que em inglês tem um título mais atraente "Hearts of Spring", por causa da breve sinopse: "Mãe blogueira de sucesso...". Não sei por que, mas as palavras mãe blogueira me fizeram parar a busca e decidir por este.





O filme que conta a história de uma mãe que cria a filha de 17 anos (me identifiquei novamente com a personagem) sozinha e escreve um blog de maternidade "Parenting from the Soul", traduzido como "Criando com Alma" (é claro que corri no Google para verificar se o blog existe), começa com uma comparação entre a maternidade e a carreira na vida corporativa. Até achei interessante a comparação, mas discordei em alguns pontos. Por exemplo, na maternidade as recompensas pelo trabalho bem feito são imediatas, seja com um sorriso dos filhos, com uma abraço, com um "eu te amo", e garantidas. Já nas empresas não é bem assim que rola. Na vida corporativa todos são descartáveis e na maternidade somos imprescindíveis e fundamentais. Mas uma coisa é certa: podemos nos aposentar das nossas carreiras, mas nunca nos aposentamos da maternidade.

Carly Asby, a mãe de adolescente e blogueira de sucesso, também trabalha em uma floricultura. Desde que o seu marido a abandonou ,quando a filha era pequena, Carly criou e cuidou sozinha da filha, Sadie. Carly é adepta da criação através do diálogo, através do respeito e compreensão e sem imposição de regras. São essas as dicas e conselhos que ela dá no blog "Criando com Alma" em que é conhecida como "Mãe Amiga".



Apesar de Carly e Sadie terem uma relação aberta, saudável e de confiança, a adolescente de 17 anos está passando por mudanças e buscando uma amiga para desabafar, para se aconselhar e fazer companhia. Isso deixa Carly ligeiramente abalada ao sentir a filha se afastar um pouco.


Em paralelo, Andy, um pediatra gatão, quarentão, viúvo e que cria o filho adolescente sozinho, se vê em seu consultório com um paciente terrível. Extremamente mal-educado e sem limites. Durante a consulta a mãe do menininho, além de jogar charme para o médico, conta que segue os conselhos da "Mãe Amiga", do blog "Criando com Alma".


Ao chegar em casa o pediatra bonitão, também pai sozinho, adepto da criação mais à moda antiga, tipo linha dura, sem muito diálogo e cheio de regras e limites, não resiste e vai dar uma lida no tal blog.


Andy então revolta-se com os conselhos da blogueira, se intitula "Pai Multitarefado" e deixa comentários contrários, um tanto agressivos, no blog de Carly. Todo o bate-boca virtual, ou melhor, o bate-teclas em relação à criação dos filhos faz com que os acessos ao blog aumentem.

Os dois teclam coisas do tipo:

- "Você acha que dar regras para a sua filha a torna uma ditadora.".

- "Se você não ouvir o seu filho não fique surpreso quando ele parar de te ouvir.".

- "As regras fecham as portas para qualquer discussão, mas compartilhar com seu filho mantém essas portas abertas.".


Enquanto rola o conflito virtual entre a "Mãe Amiga" e o "Pai Multitarefado", Carly e Andy se conhecem na vida real e se identificam por serem pais sozinhos que esqueceram a vida pessoal dedicando-se inteiramente a a criar os filhos que hoje são adolescentes e estão querendo ganhar o mundo por conta própria.

Aí tem que ver o filme para saber como se desenrola a história de Carly e Andy, mas o filme me fez pensar sobre algumas questões, como:

- Abrir mão totalmente da nossa vida pessoal para cuidar dos filhos pode gerar expectativas, frustrações e até ser um risco para a relação futura entre pais e filhos. É superimportante dedicar tempo aos filhos, priorizá-los, mas é fundamental cuidar dos nossos outros papéis, das nossas relações e assim nos prepararmos para deixá-los seguir em frente quando a hora chegar.

No início do filme Carly, quando se vê sozinha na noite do seu aniversário porque a filha foi ao cinema, diz para a amiga: "aproveitar a vida não está no currículo.". Eu acredito que aproveitar a vida e ter uma parcela vida própria independente dos filhos é imprescindível para sermos mais felizes, mais plenas, mais seguras e não jogarmos a carga da cobrança em nossos filhos.

- Os extremos na forma de criação dos filhos geram consequências, têm os seus problemas e o equilíbrio é sempre o melhor caminho. Mas que é difícil o equilíbrio nessa corda bamba de emoções, ah é! Como Carly cita em seu blog "Infelizmente não há escolinhas para a criação dos filhos.".

- Estar aberto a ouvir opiniões contrárias e opostas ao nosso ponto de vista pode trazer grandes aprendizados, ajuda, e até mostrar outro caminho.

- Salvo as situações extremas de violência, abandono e outros absurdos que vemos por aí, seja qual for a sua linha de criação, se esta for feita com amor, você será o melhor pai e a melhor mãe na visão dos filhos. É claro que sempre teremos pontos a melhorar, muito a aprender. Afinal não somos perfeitos.

- E não tem jeito! Todo pai e mãe sofrem com a tal culpa. Mesmo com muitos acertos estamos sempre procurando onde erramos. Isso pode ser até bom se for para buscar aprendizado e crescimento. O que não rola é ficar se martirizando com a culpa.

Em outra passagem do filme a blogueira escreve em seu blog:


"Se você é um jogador de beisebol e acerta uma quantidade de pontos acima da média, eles te colocam no hall da fama.
Se você é um pai que teve a mesma performance, você só pensa onde errou.".

É bem por aí. Estamos sempre buscando o nosso melhor, nos superando, crescendo, aprendendo e errando. Tudo para fazer de quem amamos pessoas felizes, íntegras e capazes de conduzir a própria vida com sabedoria.

Concluindo, achei o filme bem lindinho, leve, simples, bom pra relaxar e ainda me identifiquei como mãe de uma adolescente de 17 anos que está concluindo o ensino médio e com toda a mudança na relação mãe e filha que essa fase gera. Além de me distrair e relaxar, o filme me fez pensar e me ver em diversas passagens.
As atrizes que fazem a mãe e filha no filme são mãe e filha na vida real. Fofo, né?


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

A Semana 42 - Diversões Diversas


Mais um post da semana atrasadérrimo! Mas como dizem por aí, antes tarde do que nunca. 

O final de semana foi de estudo na rede para uma filha e provas da PUC para outra. Aliás, ao deixar a Ana Luiza na entrada da universidade para prestar o vestibular, vê-la caminhando com seus cabelos longos e passos aparentemente seguros, eu fiquei pensando nas emoções que ela estava vivendo. Passou um filme na minha cabeça do dia em que eu fiz a esta mesma seleção. Me vi entrando no pátio, passando pelos pilotis, encontrando um amigo de infância, sentada na carteira fazendo a prova e relembrei das emoções daquele momento.  



Para relaxar teve muita pintura na varanda.


Como pais também são gente e merecem diversão, descanso, momentos a dois e com amigos, teve balada de adultos enquanto as filhas ficaram em casa. Mas antes a Ana Luiza fez a minha maquiagem. Coisa boa é ter filha cuidando da mãe, é uma forma de retorno de todo o cuidado e carinho que tenho com ela.


Teve dia de comida de boteco da boa, muita conversa, desabafos e "causos", na companhia de amiga querida. O almoço foi tão gostoso, agradável e divertido que rendeu uma historinha para o blog: "A Pessoa em Brigadeiro de Colherzinha".


Teve feriado de dia das crianças no meio da semana e o pedido da Sofia foi um passeio na Praça XV para caçar Pokémon. Foi assim que eu me vi em uma situação que jamais imaginei: sentada no chão da Praça XV cercada de pessoas de todas as idades, com skatistas passando voados ao meu lado tirando finos da minha orelha e extremamente feliz. Feliz com o pedido simples da minha filha, feliz por fazê-la feliz.


A noite do Dia das Crianças foi colorindo os Pokémons que a Sofia desenhou.


Nosso hamster, o Billy Brownie, morreu nesta semana e causou muita tristeza. Para deixar o nosso dia mais alegre fizemos cupcakes de limão siciliano com frutas vermelhas e preparamos um café da manhã bem florido. 



Fechamos a semana com um programa a três: pai, mãe e filha adolescente. Fomos ver o musical "Renato Russo", um programa para todas as idades. Na plateia tinha uma menina de 8 anos que acompanhava os pais e uma senhora de 88 anos que acompanhava os netos. Valeu muito a pena. 
Taí uma das muitas coisas boas de ser mãe de adolescentes é quando começamos a compartilhar dos mesmos interesses .





Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Cupcake de limão siciliano com frutas vermelhas



Sexta-feira é um ótimo dia para ser feliz, como todos os outros dias da semana. E para dar aquela motivação a mais resolvemos preparar um café da manhã florido e saboroso. E o melhor disso é que essa preparação deixou a quinta-feira à noite mais animada.

A Sofia queria conversar comigo e resolvemos fazer um cupcake enquanto conversávamos. Sabe aquela coisa de fazer "mise en place" que eu sempre falo por aqui? Pois é, não fizemos. Não separamos os ingredientes da receita antes. Simplesmente saímos fazendo.

Quando já tínhamos colocado o óleo e os ovos nos demos conta de que o açúcar que tínhamos em casa não era suficiente. Tudo bem, completa com açúcar mascavo. Depois percebemos que simplesmente não tínhamos farinha de trigo. Como assim? E agora? Vamos ver as farinhas que temos em casa, fazer um mix e pedir para Nossa Senhora do Forno e das Forminhas nos ajudar. Na hora de finalizar notamos que o fermento em pó não era suficiente. O jeito foi completar com aquele bicarbonato que usaríamos para fazer o nosso desodorante e rezar mais um "cadinho" pra Nossa Senhora das Panelas e da Colher de Pau.

O nosso cupcake de limão siciliano com frutas vermelhas foi batizado de cupcake com tudo para dar errado. E não é que até deu certo? Valeu a força da Nossa Senhora do Forno e das Forminhas e Nossa Senhora das Panelas e da Colher de Pau.





Então vamos à receita desta versão.


O que utilizamos:

- 3/4 de açúcar (usamos uma parte de açúcar comum e outra de açúcar mascavo);
- 1/4 de óleo;
- 2 ovos;
- 3/4 de farinha de aveia;
- 3/4 de amido de milho;
- 1/2 de polvilho azedo;
- 1 limão siciliano (suco);
- 1/2 xícara de leite;
- 1 colher de sobremesa de fermento;
- 1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio;
- 12 amoras;
- 24 mirtilos.

Obs.: não usamos 12 framboesas porque não tínhamos em casa.


Como fizemos:

Misturamos os açúcares, o óleo e os ovos e batemos bem. Acrescentamos as farinhas e misturamos até a massa ficar bem homogênea. Acrescentamos aos poucos o suco do limão, sempre mexendo e depois o leite. Finalizamos com o mix de fermento e bicarbonato e misturamos levemente.

Arrumamos nas forminhas colocando uma amora e dois mirtilos em cada uma.



Levamos ao forno pré-aquecido a 180o C por 30 minutos.

Os cupcakes ficaram bonitos, cheirosos e gostosinhos, apesar da massa ter ficado um pouco seca. Mas a Sofia não gostou. Achou que ficou com o sabor do polvilho muito acentuado. 

Já que a Rose adorou os cupcakes, A Sofia deu essa fornada de presente para a Rose e na sexta pela manhã, ou seja, hoje, refez a receita já com os ingredientes corretos.

- 3/4 de açúcar;
- 1/4 de óleo;
- 2 ovos;
- 2 xícaras de farinha de trigo;
- 2 limões sicilianos (suco);
- 1/2 xícara de leite;
- 2 colheres de sobremesa de fermento;
- 6 amoras;
- 12 mirtilos.

Obs.: não usamos 6 framboesas porque não encontramos no mercado.



Nessa nova fornada ela preferiu fazer a metade com frutas vermelhas e a metade com as raspas dos limões sicilianos. 



As duas versões ficaram muito bem gostosas, agradaram a todos e o nosso café da manhã de sexta-feira ficou florido, saboroso e divertido.


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

A Pessoa em Brigadeiro de Colherzinha

Era uma vez a pessoa e uma amiga. As duas foram almoçar em um bar com comida de boteco da melhor qualidade. E comida de boteco boa, tem uma variedade incrível de bolinhos saborosos, crocantes e com nomes divertidos que despertam a curiosidade e a vontade de experimentá-los. Então é claro que as amigas pediram uma porção de bolinhos de entrada.

Assim que fizeram o pedido da entradinha para o garçom, este perguntou se elas já queriam adiantar o pedido do prato principal. As duas mulheres que são pessoas comedidas, conscientes, equilibradas e maduras o suficiente, falaram que iam aguardar a entrada para saberem se, após comerem os bolinhos maravilhosos, pediriam dois pratos ou se apenas um seria suficiente para as duas. Nossa, que educação alimentar admirável dessas duas pessoas!

As amigas comeram seus bolinhos calmamente, saboreando os pedaços entre conversas, risadas e desabafos. Quando já iam pedir apenas um prato para as duas dividirem, o garçom passou com uma porção de uma entrada bem bonita. O prato tinha foguinho aceso, tinha uns palitos com pontas coloridas, uma arrumação toda festiva. Ou seja, suficiente para abalar a maturidade das duas amigas e fazê-las desejarem aqueles bolinhos de qualquer coisa que fosse tão bem servidos. Gente, fala sério, foguinho e palitinhos com pontinhas de papel celofane vermelho e azul em um único prato é irresistível, né não?

A pessoa e sua amiga, com a maturidade já meio abalada, chamaram o garçom e pediram um igual aquele que ele acabou de entregar na outra mesa (apenas um detalhe: a outra mesa tinha 8 pessoas). A porção dos bolinhos bonitinhos era um fondue de coxinha que as duas amigas comeram com prazer e satisfação. Saboreando devagar e conversando animadamente.

Depois dessa orgia de bolinhos e entradinhas, as duas retomando o equilíbrio, a maturidade, a sensatez e a educação alimentar concluíram que ficariam apenas nas entradas e não pediriam o prato principal.

Mas pedir a conta assim direto... foi meio demais para as duas mulheres maduras, comedidas, equilibradas, sensatas, conscientes e educadas. Já que abriram mão do prato principal, uma sobremezinha cairia bem né? Afinal, o que é uma colherzinha de sopa (gente, tudo é uma questão de parâmetros. Pense na colher de arroz que você consegue enxergar a colher de sopa no diminutivo) abarrotada de brigadeiro?! Ah, é coisa pouca! Bora chamar o garçom!

As duas pedem brigadeiro de colher de sobremesa e o garçom pergunta: um ou dois? Simultaneamente em movimento sincronizado aparentemente muito bem ensaiado as duas levantam a mão e balançam 4 dedos no ar. O garçom arregala os olhos, meio que ri, olha para a mesa para confirmar que é uma mesa de dois lugares e indaga: QUATRO?

Lá vai ele com um misto de dúvida e estranhamento no rosto: será que as duas mulheres na mesa de dois lugares são apenas engraçadas e divertidas, ou são malucas que alimentam amigos imaginários, ou seriam daquelas pessoas que veem espíritos glutões desencarnados, mas ainda apegados aos prazeres mundanos?

Na dúvida o garçom retorna com apenas duas colherzinhas de sopa (pensem na colher de arroz) abarrotadas de brigadeiro. As amigas aceitam de bom grado, pegam cada uma a sua colher, brindam (sim, sobremesa merece brinde sempre), lançam o olhar apaixonado para os seus brigadeiros e começam a saborear. Nessa hora não tem conversa, não tem desabafo, não tem risadas. Tem apenas olhares apaixonados para seus brigadeiros e lambidas. Ao mesmo tempo as duas pousam suas colheres já perfeitamente limpas e brilhantes no prato e em mais um movimento sincronizado aparentemente ensaiado levantam o dedo para chamar o garçom. Este se aproxima e as duas falam em coro: pode trazer os outros dois. Os olhos incrédulos do garçom mais uma vez vasculham a mesa procurando os amigos imaginários ou as almas penadas que poderiam estar ali. Ele vira as costas e volta com outras duas colherzinhas de sopa (pensem mais uma vez na colher de arroz) e entrega para as duas.

Não, não tinha amigo imaginário, não tinha espírito desencarnado, tinha ali dois espíritos gulosos, não, apaixonados e felizes.



Primeira consideração: essa ideia de pedir sobremesa em dobro foi tão boa, mas tão boa que essa história não vai ficar apenas no "Era uma vez". Vai rolar "Foi uma segunda vez", "Foi uma terceira vez", "Foi uma quarta vez".

Segunda consideração: a relação com brigadeiro, esse doce brasileiro maravilhoso, não é de gula. É de paixão mesmo. Aliás, foi por causa dele que a pessoa "garrou no ódio" de um tal chefe de cozinha inglês.
Tá certo que o projeto "Food Revolution Day" é legal, a lutar por comidas mais saudáveis nas cantinas da escolas também é muito louvável e coisa e tal. Mas falar que o docinho mais amado do Brasil é porcaria, foi demais para os meus sais. A partir daí os meus olhinhos enxergaram o monte de porcarias que tem nas receitas dele. A maioria com ketchup, muitas com massa de tomate industrializada, outras com feijão enlatado e doces carregados de açúcar (vide a receita de Hummingbird que ele passou em um dos programas. Leva nada mais, nada menos, do que 750 g de açúcar). Bom, impliquei com o cara.

Terceira consideração: a pessoa pede que as filhas enviem fotos da salada que estão comendo no almoço, mas é claro que não manda a foto do próprio pratinho para as filhas, né?!


Esse causo foi contado no Facebook bem aqui.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

A Semana 41 - Lembranças


Olha o post da semana que deveria sair no sábado. Acontece que ando na maior preguiça com o blog. 
Com muitas ideias, mas sem paciência para consolidá-las, sem paciência para sentar e escrever. Algumas eu até começo e acabam ficando no rascunho. Mas o post da semana já com o final de semana incluído eu vou me esforçar porque, se não fizer, eu tenho certeza de que vou sentir falta dele depois. Esses posts da semana funcionam muito como diário para mim, como um local para guardar as memórias e recorrer quando quero relembrar algo.

Bom, vamos então aos momentos para ficar na lembrança.

Com uma filha fazendo Vestibular e ENEM, e a outra cheia de testes e provas, os finais de semana têm sido mais em casa do que de passeios. 

O sábado chuvoso foi em casa entre estudos e pinturas. No final acabou em pizza caseira.


No domingo eu até ensaiei ir ao cinema com a família toda, mas quando a Ana Luiza viu o preço total das entradas nos convenceu de que era melhor esperar o filme chegar à Netfilx ou à NOW. Pode isso? Pode, fomos nós (eu e o pai) que ensinamos a pensarem bem antes de gastarem algum dinheiro.

Para aquecer a casa em dia frio e chuvoso nada melhor do que comida no forno. No nosso caso fizemos um bolo de chocolate com banana que perfumou e esquentou o nosso lar.

Já à noite aproveitei que ganhei ingressos para ver "Portátil", um espetáculo de improviso da Porta dos Fundos. Sensacional! Pena que foi o último dia em cartaz. De qualquer forma, fica a dica. Se voltar a cartaz, vale muito a pena ver.


Se tem uma coisa que eu gosto no fato de trabalhar fora é o convívio com os amigos, sair para almoçar, experimentar restaurantes diferentes e outros lugares. Nesta semana nos encantamos com Santa Teresa. Fomos ao restaurante Sobrenatural que é... digamos assim... sobrenatural.

Já que era a primeira vez que estávamos indo ao restaurante escolhemos o prato que leva o nome do local: Arroz Sobrenatural. Nossa! Tudo de bom!


Ainda deu tempo de passear por duas, das muitas lojinhas de arte que tem espalhadas por lá.


Eu e a Sofia fizemos uma experiência bem legal para ela levar para a aula de ciências. Nos divertimos muito com o experimento. Vou contar com detalhes aqui no blog.


Voltei à Santa Teresa e dessa vez fomos almoçar no Café do Alto, restaurante de comida nordestina supercharmoso.



Comi o prato do dia que era arroz de coco com carne seca desfiada e molho de camarão seco. Delicioso e muito bem apresentado. E a sobremesa? Gente, nem deu tempo de fotografar.


E a volta foi com direito a passeio de bondinho e tudo.


O grupo de amigos que fizeram o 3o ano juntos resolveu se reencontrar. Rolou muitas lembranças, histórias engraçadas e fotos também.


Foi ótimo me rever exatamente na fase que a Ana Luiza está vivendo agora. Ano de Vestibular, de decisões, de escolhas, de despedidas e de novos caminhos pela frente.

Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo